Serra da Estrela é o nome dado à cadeia montanhosa e à serra onde se encontram as maiores altitudes de Portugal Continental, constituindo a segunda montanha mais alta de Portugal (apenas a Montanha do Pico, nos Açores, a supera). Faz parte da mais vasta cordilheira denominada Sistema Central, no subsistema designado como sistema montanhoso Montejunto-Estrela, que se desenvolve no sentido sudoeste-nordeste desde a serra de Montejunto. A serra da Estrela é uma zona de paisagem integrada no Parque Natural da Serra da Estrela, que após a sua constituição em 16 de Julho de 1976 se instituiu como a maior área protegida em solo português.

Além da neve, da fauna e flora extraordinárias, o viajante é também atraído pela orografia de proporções colossais, com destaque para o Cântaro Magro, bem como pela riqueza humana, cultural, histórica e gastronómica da região.

 

A Serra da Estrela atinge a sua cota de máxima altitude - 1993 m - junto da Torre. Este ponto é limite de quatro freguesias: Unhais da Serra (Covilhã), São Pedro (Manteigas), Loriga (Seia) e Alvoco da Serra (Seia). Por esta razão, o ponto mais alto de Portugal Continental é partilhado pelos três municípios aos quais estas freguesias pertencem: Covilhã, Manteigas e Seia.

A altitude ortométrica correta da Serra da Estrela, neste ponto e arredondada ao metro, encontra-se com o valor de 1993 metros conforme rectificações introduzidas por medições realizadas pelo Instituto Geográfico do Exército. Para completar os 2000 m foi construída uma torre de 7 m.


História, lendas e mitos

Julga-se que corresponda à elevação a que os tratadistas romanos da Antiguidade chamavam de Montes Hermínios (Herminius Mons) ou "Montes de Hermes" (deus greco-latino dos pastores, também conhecido por Mercúrio). Esta região terá sido o berço do guerreiro lusitano Viriato.

A associação desta serra a uma estrela pode remontar à pré-história. Investigações arqueológicas permitiram reconstruir uma imagem da vida no quinto milénio a.C, no Neolítico Antigo, quando pequenas comunidades sobreviviam à base da caça e da recoleção, a recolha de bolota e outros frutos, e pastorícia migratória. Esta última sugere que estes "pastores" passariam os meses quentes nos pastos altos da Serra da Estrela, e o inverno nas cotas menos elevadas dos vales dos rios. A importância da Serra da Estrela na cultura Neolítica das Beiras pode ser observada na descoberta de que Monumentos megalíticos do vale do Rio Mondego, em particular no Carregal do Sal, foram predominantemente construídos de modo a permitir que a Serra pudesse ser vista do interior das suas câmaras. Ao mesmo tempo, a estrela Aldebaran, a mais brilhante da constelação do Touro, nasceria sobre a Serra. O seu nascer, na alvorada, aconteceria em finais de Abril/inícios de Maio e este evento poderia ter sido usado para marcar a transição para climas mais quentes e, portanto, para os pastos da Serra da Estrela. Esta narrativa proveniente dos registos arqueológicos encontra-se no entanto bastante próxima das lendas e mitos que explicam o nome da serra.3

 

Outras informações genéricas

Nas zonas mais altas da serra situa-se a Estância de Ski Serra da Estrela, a única estância de esqui de Portugal, desenvolvendo-se a mesma nas encostas da serra que pertencem à freguesia de Loriga. As temperaturas mais baixas de Portugal são habitualmente registadas no cume da serra da Estrela, com mínimas que ocasionalmente podem atingir a marca de -20°c no Inverno.

O queijo da Serra da Estrela, considerado o imperador dos queijos portugueses, é produzido nesta região, que também possui uma raça de cães de guarda, o cão da Serra da Estrela que se enquadra no tipo molosso tal como o seu parente São-bernardo. Ambos se encontram ligados ao tradicional pastoreio da ovelha bordalesa da Serra da Estrela. Trata-se de um pastoreio de características ancestrais e milenares, onde práticas como a transumância e a renovação de pastagens pelo fogo são comuns.

A desertificação humana da Serra tem levado ao abandono das práticas tradicionais, diminuindo consequentemente a genuinidade do produto queijo da Serra da Estrela, na sua versão de produção e venda massificadas que hoje encontramos nas grandes superfícies comerciais. É no entanto possível, ainda hoje, adquirir localmente um queijo de produção menos intensiva que mantém as características originais.

 
Desktop site Mobile site Imprensa FAQ's Intranet Politica de Privacidade Termos de utilização Mapa do Site Desenvolvido por