É preciso convencer os médicos do uso de ambientes florestais como medicina preventiva
O uso de ambientes florestais como medicina preventiva

2020-09-10

Segundo o epidemiologista do Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal), Mark Nieuwenhuijsen, director de planeamento urbano, meio ambiente e saúde, “caminhar na floresta pode levar a uma expectativa de vida mais longa, menos doenças cardíacas, diabetes e cancro, e pode melhorar o humor. Também melhora o funcionamento cognitivo em jovens e adultos, reduz o stress, melhora a alimentação e proporciona actividade física".

Apesar das florestas terem tido um novo aspecto há muito tempo (dando-lhes um valor diferente com base no binómio saúde-floresta e questões climáticas), alguns especialistas indicam que ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar outros feitos importantes. Entre eles, que o médico diagnostique, por exemplo, o transtorno de défice natural - como o americano Richard Louv observou pela primeira vez no seu livro "A última criança na floresta", em que as crianças viraram as costas ás actividades ao ar livre ou que em caso de ansiedade leve, o médico recomende uma dose de floresta três vezes por semana, ou que o paciente opte por menos comprimidos e mais caminhadas na Natureza.
 

VEJA O ARTIGO COMPLETO EM: https://turistrela.wordpress.com/2020/09/10/e-preciso-convencer-os-medicos-do-uso-de-ambientes-florestais-como-medicina-preventiva/


Notícias
Pesquisa
De a
Desktop site Mobile site Imprensa FAQ's Intranet Politica de Privacidade Termos de utilização Mapa do Site Desenvolvido por